Um dia


✭✭✭✭✭

Sábado passado li a resenha de “Um dia” no Expresso para dois. Levantei do computador, troquei de roupa, fui até o shopping e voltei para a casa com o livro em mãos. Meu amor por esse livro foi assim, instantâneo e intenso.

Captura de tela 2014-09-23 às 22.59.42

“Vinte anos. Duas pessoas.” Nunca um livro foi tão bem resumido em apenas quatro palavras. Um dia conta a história de Emma e Dexter, que se conhecem na formatura, no dia 15 de julho de 1988. Cada capítulo narra a relação deles em anuais 15 de julho, durante 20 anos, e conta como a pegação inicial se transforma numa amizade linda, que não é exatamente preta e branca.
A verdade é que gostei tanto do livro que estou tendo a maior dificuldade de escrever essa resenha. Maaaas, vamos lá!

Emma é uma garota incrível, bonita – sem muita noção disso -, inteligente, engraçada, que realmente quer mudar o mundo, usa óculos gigantes, discute política e é nitidamente apaixonada por Dexter.
Dexter é um garoto de família rica, muito bonito – e sabe disso -, que quer curtir a vida com viagens, mulheres, bebidas, mulheres, mulheres.
Apesar das diferenças, eles vão construindo uma amizade ano a ano, com seus altos e baixos, encontros e desencontros.

Em e Dex, Dex e Em.

Eu adorei Emma, mesmo! Seria amiga dela fácil. E se você já leu o livro e vier dizer que ela é uma pessoa sem amor próprio por se submeter a tudo que acontece, eu a defendo! Quem nunca cometeu nenhum erro ato por um amigo/amor, atire a primeira pedra! Enquanto Emma não vê quanto ela é incrível, eu vejo.
Por outro lado temos Dexter. Entããão… Dexter é um completo idiota! Isso fica claro durante quase todo o livro. Apesar disso, acho que só consegui ter raiva dele em duas páginas. Ele é um tipo comum, desses que com certeza você conhece alguém parecido. Apesar da idiotice, ele não é má pessoa, realmente gosta de Emma e gente… não vou mais falar porque se não vou começar a chorar de novo. É. Esse livro está recebendo oficialmente o selo chorei rios.

Tentando não fazer spoiler, vou dizer pra vocês que o acontecimento mais recorrente do livro pode ser descrito como “oportunidades perdidas”. Muitas. Milhares. Amei os dois, mas tive vontade de dar um peteleco na cabeça deles na maior parte do livro, com Dexter sempre na frente nesse quesito. É arrasador ver o quanto as escolhas deles interferem no que poderia ser uma simples e linda história de amor. Alô? Realidade? É você? 

Além da história linda que já faria o livro incrível, levei vários tapas na cara com luva de pelica. É. Você desperta para várias questões pessoais, pensa e repensa com o que, como e com quem está gastando a sua vida. O livro é muito real, muito, mesmo. Eles são muito humanos, cheios de virtudes e falhas, tomam caminhos tortos e sofrem as consequências de cada um deles e bem, se você for ler esperando um livro bonitinho, pula e deixa pra próxima.
Nesse momento estou providenciando o filme, que ouvi dizer que é quase tão bom quanto o livro. Como já tinha visto o trailer, durante toda a leitura imaginei Emma como Anne Hathaway e Dexter como Jim Sturgess.

Essa maravilha foi escrita por David Nicholls, lançado no Brasil pela editora intrínseca e me custou R$24,90 (acho). Agora vou continuar sofrendo porque o livro acabou enquanto o filme não vem.

Boa leitura! =*

Anúncios

10 comentários sobre “Um dia

  1. Meu comentário será gigante, prevejo isso. Eu li a respeito desse filme numa revista e fiquei super ultra giga interessada na sinopse. Muito promissora. Ai, que a Lola, vulgo irmã mais velha, comprou o livro, me contou a história e eu não me animei a ler. Sobretudo porque fiz ela me contar o final. Dã. Ai que eu resolvi ver o filme. Ai que eu chorei muito, porque eu sou bem o contrário do que a Bru tá falando ai em cima. Eu choro até hoje com o John Coffee no A Espera de um Milagre e olha que eu assisti esse filme mais vezes do que a Sessão da Tarde passou Lagoa Azul. E quando eu sei que a história é triste e que eu vou chorar tanto a ponto de levantar com os olhos estilo briguei na rua e levei um soco, eu evito. Eu assisti As Pontes de Madison, sabendo que era triste e me arrependo até hoje. Tenho raiva desse filme. Não assisto A cor Púrpura, mesmo sabendo que é um filme super bem conceituado (e amado pela minha mãe e Lola), pq sei que vou me descabelar. Enfim, toda essa história pra contar que adorei a tua resenha e de fato, se eu n soubesse o final, eu leria mesmo, mas como sei que vou ficar esperando pela hora que alagarei a sala de tanto chorar, deixa assim. 😥 ❤

    1. Kat, eu também sou dessas que chora muito. Tava pensando esses dias qual o filme em que eu mais tinha chorado e acho que foi Sete Vidas, quando o filme terminou eu tava no nível “briga de rua”. Quando eu comecei Um dia, já sabia o final. Como passei a madrugada lendo e não consegui terminar, tive a genial (só que não) ideia e levar para terminar na faculdade. Eis que o fatídico momento do livro que chegou e eu comecei a chorar no meio da sala (não basta chorar lendo um livro, tem que fazer isso na frente de várias pessoas). Nem eu acreditei que fiquei naquele estado, porque teoricamente era “só um livro”. Eu me apeguei de um jeito a Emma e a Dexter, que quando aconteceu, eu sofria como se fosse amiga dela e sofria pensando no sofrimento dele (depois de começar a estudar Psicologia fiquei mais sentimental, não que eu já não fosse antes). Enfim, muito sofrimento. Depois de ler esse teu comentário fiquei me sentindo meio masoquista hahaha. Mesmo quando sei que foi sofrer horrores e chorar rios, não consigo dizer não para os filmes/livros. x)
      Desculpa a resposta gigante =***

      1. Adoro respostas/coments gigantes. Eu imagino o teu sofrimento, eu entrei no blog que tu disse que viu a resenha, o Expresso pra Dois e resolvi rever o trailer que ela disponibilizou no final do post. Deu uma dorzinha lá no fundo. Na hora parece que a razão passa longe da gente e passamos a acreditar que aquilo tá acontecendo de fato. O mesmo pra livros, o mesmo pra filmes. Como pode né? :*

  2. Oi Ju! Não li o livro, mas assisti o filme. Fiquei muito abalada, chorei muito! Isso que não sou de chorar em filmes e livros. Mas, esse realmente me tocou demais! O filme é lindo e agora, lendo a resenha, fiquei com muita vontade de ler o livro, apesar de saber o final…

    1. Bruna, quando li o livro também já sabia o final, mas fiquei louca pra saber cada detalhe da história deles. Uma amiga que também já viu o filme, pediu meu livro emprestado pra ter certeza que não perdeu nada na adaptação (filme sempre corta alguma coisa, né). Um dia mexeu demais comigo e eu indico muito a leitura. :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s