Blahnik Movie: Minha trilha sonora favorita

Esse mês as Discípulas de Carrie tem como tema Dancing with Carrie e todos os posts estão relacionados com música. Por aqui começo com o Blahnik Movie, que propõe trazer minha trilha sonora favorita, de filme ou série. 5th0kv3uozkdcQuem lê esse blog desde o começo sabe que eu sou aloka da trilha sonora da Disney. Então vou ignorar essa parte e, como acho impossível escolher uma trilha sonora favorita, vou falar da primeira série e do primeiro filme que me vieram a mente.

Então, série. Já falei aqui que My Mad Fat Diary me prendeu, dentre outros motivos, pela trilha sonora. Foi uma das séries que vi e corri pro Spotify. Rae, personagem principal, tem uma relação muito forte com a música, que termina tendo bastante destaque na série. Pra completar, a trilha é formada por bandas e músicas que fizeram parte da minha adolescência, ou seja, rola uma sessão nostalgia por aqui.

Temos Radiohead, Oasis, The Cure, Beck, Blur, Counting Crows, Placebo, Portishead, Alanis, Rage, Massive Atack e tem bem mais, mas acho que essa pequena descrição tá suficiente, né?!1mf

O último filme que corri para a trilha sonora quando saí do cinema foi Como eu era antes de você. Achei insuficiente o que sofri com o livro, depois com o filme, quis prolongar um tanto ouvindo as músicas no repeat. As minhas preferidas são Not today e Don’t forget about me, porque sofrimento pouco é bobagem.

Sei que a ideia inicial era Dancing with Carrie, mas bem, deixo minhas sugestões para chorar com Carrie. :B

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

filmes para desidratar

Dias atrás me juntei com umas amigas da faculdade para assistir filme aqui em casa. A gente precisava de uma desculpa pra não morrer de saudade e o combo filme + gordice + amigas é imbatível, né?! Daí que esse encontro, além de maravilhoso por si só, me deu a ideia dessa série de posts. Melhor encontro ❤

Post que surge com encontro de amigas, tem que ter colaboração delas, neah?! Então nessa série serão sempre sugestões de filmes/livros com alguma finalidade específica. 5 sugestões minhas e 5 das lindas que passarem por esse recinto de onde escrevo ou pelo meu whatsapp/telegram.

Para continuar esse post, pega um lençol, porque um lenço não será suficiente para a quantidade de lágrimas que esses filmes vão te fazer derramar. Essa série começa com sugestões de filmes para desidratar, aqueles que ganham facilmente o selo chorei rios.

#1 Como eu era antes de você
O último que me fez desidratar. Gente, eu ri, eu ri muito com Louisa Clark. A quantidade de risadas foi diretamente proporcional a quantidade de lágrimas que derramei em seguida. tumblr_o4x1wjo3gt1t77z9fo2_500

#2 Antes que termine o dia
Aquele filme que você espera uma coisa e vem outra totalmente oposta, junto com lágrimas, claro.antes2bque2btermine2bo2bdia2b3

#3 Sete vidas
Facilmente eleito um dos filmes que mais chorei na vida. Só de lembrar a história do filme, já quero chorar de novo. tumblr_m5sv184grq1rucchbo1_500

#4 Um dia
Falei sobre o livro aqui, e embora não tenha achado o filme tão bom quanto (nunca acho), vale muito cada lágrima. 1a2647ddf79e2726c9debf6f3633418d

#5 Sempre ao seu lado
Filme com cachorro para desidratar facilmente. tumblr_mvyp5r1qi81t05mkyo1_500

O top 5 filmes para desidratar das amigas:

#1 Uma prova de amor

#2 O melhor de mim

#3 A cor púrpura

#4 Histórias cruzadas

#5 As pontes de Madison

Tem alguma outra sugestão de filmes para desidratar? Me conta (;

Pipoca #5

O bebê de Rosemary
Sinopse: Um jovem casal, Rosemarey (Mia Farrow) e Guy Woodhouse (John Cassavetes), se muda para um prédio habitado por estranhas pessoas, onde coisas bizarras acontecem. Quando ela engravida, passa a ter estranhas alucinações e vê o seu marido se envolver com os vizinhos, uma seita de bruxos que quer que ela dê luz ao Filho das Trevas.Pasmem, mas eu nunca tinha assistido O bebê de Rosemary. O filme é um clássico do terror e, gente, não é porque o filme é de 1968, mas não rolou, achei as atuações muito fracas e tava esperando pelo menos um medinho durante o filme, que ficou faltando.
♥♥

Diversão Macabra
Sinopse: Shelby, Tabitha e Lisa são amigas de infância. Três histórias diferentes – todas interligadas por um assassino sem escrúpulos, que parece ter um senso de humor perverso e está disposto a acabar com elas de uma vez. Quando eram crianças, as garotas conheceram um menino com um apetite voraz pela dor, que se divertia torturando pequenos animais, para o desespero do restante das crianças. Se alguém tivesse percebido a tempo, talvez ele pudesse ser detido, mas agora é tarde, o garoto cresceu e concebeu um plano perfeito. Cada detalhe foi formulado de maneira minuciosa e Shelby, Tabitha e Lisa serão convocadas para uma reunião da qual talvez não consigam sair.Mais uma vez, não rolou! Acho que sou muito chata com filmes de terror, mas nesse caso, além do filme ser meio tosco, as personagens são tão absurdamente estúpidas que fiquei sem paciência. A personagem principal é Katheryn Winnick, mesma atriz da séries Vikings (resenha em breve), e eu só conseguia vê-la quebrando esse palhaço, não fugindo dele e fazendo as típicas burrices de todo filme de terror.
♥♥

EU MAIOR

Estou desesperada atrás do tema da minha monografia. Tenho destinado cada minuto livre da minha vida pra pesquisar e pesquisar e pesquisar. Daí que no meio de tantas pesquisas e tantas leituras, o filme EU MAIOR pulou na minha frente. Eu já estava tão cansada de não achar o tema, que resolvi dar uma pausa na busca e relaxar vendo o filme. Não podia ter feito escolha melhor.

EU MAIOR traz uma reflexão sobre autoconhecimento e a busca da felicidade. São feitas entrevistas com pessoas de diversas áreas passando por políticos, médicos, artistas, líderes espirituais, psicólogos, entre outras profissões. Vale a pena ver cada minuto e ouvir cada resposta. Eu gostei demais e em diversos momentos senti uns tapas na cara, desses que a gente precisa mesmo levar de vez em quando.
Se te interessou, é só dar o play!

E antes de voltar pra pesquisa sobre meu tema de monografia, queria saber: o que é felicidade pra você? O que faz você feliz?

Intocáveis

Estou até agora me perguntando porque eu demorei tanto tempo pra assistir Intocáveis. O nível da demora foi: passou na globo. Passou na globo e eu me neguei a assistir porque tenho sérios problemas com as dublagens.intocaveisResolvi assistir Intocáveis por conta do francês. Pra não ficar tão fora de forma, combinei com meu irmão – coleguinha de classe – de assistirmos filmes em francês durante as férias. A minha ideia era assistir Amélie Poulain mais uma vez, mas aí meu irmão veio com Intocáveis. Como somos muito organizados – SQN – praticamente esperamos as férias terminarem pra assistirmos o filme. Antes tarde do que nunca, o que importa é que assistimos e eu até entendi alguma coisa sem precisar das legendas.

Intocáveis é um filme francês, lançado em 2012, dirigido por Eric Toledano e Olivier Nakache. O filme é baseado em fatos reais e conta a história de Philippe (François Cluzet) – um tetraplégico riquíssimo – e de Driss (Omar Sy) – um rapaz jovem que, sem a menor experiência, é contratado para ser seu cuidador -.

Inicialmente Driss não tem o menor jeito pra coisa, mas depois de um tempo ele vai aprendendo tudo e os dois vão construindo uma relação muito bonita. Philippe se apega a Driss, especialmente porque ele não o trata como um deficiente, muitas vezes até esquecendo que ele tem algumas limitações.
Driss, apesar de ser um rapaz simples, que vem de uma família complicada, é um cara divertido, sempre cheio de piadas, esbanjando boas energias e sorrisos por onde passa. Além de Philippe, ele consegue conquistar todos no seu trabalho, além de conquistar todo mundo que assiste o filme também. Pra mim, o grande diferencial de Driss é que ele é muito humano e autêntico, isso fica evidente desde o início do filme, principalmente quando vemos os demais entrevistados para o cargo de cuidador.

Intocáveis é um filme tocante. Além da beleza da história, o filme é muito engraçado – as gargalhadas eram constantes aqui no sofá – e tem uma trilha sonora deliciosa. Digo sem medo de errar: se você for atrasado como eu e ainda não tiver assistido, assista! Vale cada minuto.

5Nota: 5 baldes de pipoca. Se tivessem 6, seriam 6.

Reflections of a skyline

Não sei se já falei por aqui, mas eu adoro curtas. ADORO, mesmo. Quando ia pro cinema ver os filmes da Pixar, era a pessoa mais feliz e ansiosa pelos curtas que eles sempre mostravam. Daí que a pessoa cresce e descobre que existe vida além da Pixar (entenda: além da pixar sim, sem pixar não), e começa a assistir curtas pela internet como se não houvesse amanhã. Depois de anos de experiência e uma longa lista de curtas vistos, elegi meu curta favorito que é meu favorito há tanto tempo, que cheguei a conclusão que esse título é irrevogável.

Reflections of a Skyline foi lançado aqui no Brasil em 2008, e deve ter sido nessa época que eu vi pela primeira vez. 2014 está correndo para o fim e eu continuo adorando e sentindo toda vez que o (re)assisto, com a diferença que agora eu sei as falas decoradas. Dirigido por Michael Tamman e Richard Jakes, o curta britânico fala sobre o amor. Ponto. Simples assim. O texto é fantástico, os atores são ótimos e a trilha sonora casa perfeitamente. Gente, sério… é muito amor concentrado em menos de 6 minutos de filme. Vale cada segundo. Juro.

Bom filme. =*