2 anos de CLBS

Voltei. Minha última aparição foi mais de quatro meses atrás, eu sei. Sou dessas que some e reaparece mesmo, desculpa. Mas, bem, tenho várias explicações. A primeira e mais importante: estava estudando loucamente. As demais envolvem os seguintes fatos: nesses meus quase 5 meses de sumiço eu fiz o 10º período de Psicologia, atendi meus pacientes, estudei feito doida, realizei uma pesquisa que virou meu TCC, defendi e fui aprovada com nota máxima. :B

Além disso, vi umas séries. To completamente viciada em The Blacklist (é a minha queridinha da vez), finalizei Penny Dreadful com muito sofrimento, to morrendo em dia com Game of Thrones, curtindo Orphan Black e atrasando Outlander, porque comecei a achar chatinha. yayomg-we-bare-bears-gif-computer

Vi uns filmes também. Gostei muito de Mogli e, de forma muito previsível, chorei com Como eu era antes de você. Li uns livros, poucos, mas li. Terminei Um mais um, depois passei pra Não se apega, não, seguido por A mágica da arrumação e agora estou na metade dO dia do Curinga.

Para fechar meu sumiço com chave de ouro, fui abraçada com fervor pela chikungunya e, ó, não desejo esse abraço pra ninguém.

Resumindo meu desaparecimento: me formei. Agora falta só colar grau pra ser oficialmente psicóloga. A última vez que sentei na frente desse computador pra escrever, foi pra finalizar meu TCC, então vejam bem a importância desse post.

Ah! Tem mais. Voltei pra dizer que não vou sumir de novo, pelo menos não automaticamente, e também pra contar que hoje o blog comemora 2 anos de existência. Grata aos que continuam por aqui. :*tumblr_inline_o28uplehek1twd82w_500

Série Blahnik: Maratona de Carnaval

Quem vai cair na folia e curtir o carnaval como se não houvesse amanhã? 😀 Não sei. Eu vou ficar aqui quietinha, estudando, lendo um pouquinho e, claro, vendo uns episódios de série porque eu mereço.

Pensando em pessoas como eu, as Discípulas de Carrie lançaram a proposta “Uma série pra maratonar enquanto não viro Rainha da Bateria” e aqui estou para cumprir meu papel de indicadora oficial de séries para tod@s @s mig@s.

Na hora de começar uma nova série, meu bom senso passa beeeem longe. Sou daquelas que vê uma temporada em um dia, fácil fácil. E foi esse o pré-requisito que usei: séries viciantes pra assistir de uma vez.yayomg-we-bare-bears-gif-computer1. Sense8
Falei sobre ela aqui. A primeira temporada tem 12 episódios. Adianto que a série pega mesmo a partir do 5º. Assisti em dois dias (mas se começar de manhã, dá pra ver em um dia – eu, aloka -) e o carnaval tem 5. Ainda sobre tempo pra próxima série.tumblr_nyk8qxgvu61so0u6lo1_400 2. How to get away with murder
Entrega o coração e vai sem medo. É daquelas séries que viciam desde o primeiro episódio. Até agora são duas temporadas, somando 24 episódios. Aproveita a chance e se entrega logo, porque ela já tá voltando! o/tumblr_nckuegogro1r8jjn6o1_5003. Penny Dreadful
Duas temporadas, somando 18 episódios, com alguns dos personagens mais incríveis que já vi. Gente, O QUE É VANESSA? ❤ Melhor personagem da vida. tumblr_ni6iloibh91tp1oeqo1_500

Como estou atualizada nessas três, vou passar o carnaval com Demolidor. E vocês? Qual a boa do feriado?

11230605_925443270811805_1188031399676317210_o

CosmoTag: 5 livros, séries e filmes pra 2016

Feliz 2016, pessoas! (;

Já vou começar o ano novo com CosmoTag, porque os temas de janeiro das Discípulas de Carrie estão demais! É super comum rolar um planejamento no final/começo do ano, mas nessa troca de 2015 pra 2016, não fiz nada, nadinha (como falei no último post), então vou fazer meu primeiro planejamento real para esse ano que chegou, que consiste em 5 livros que vou ler, 5 séries e 5 filmes que vou assistir.

Livros

1. Mosquitolândia
Ganhei Mosquitolândia de presente no meu aniversário e o livro me ganhou pela capa (pra variar). Em breve tem resenha dele por aqui.

2. Morangos Mofados
Depois de tanto ler pequenos trechos e textos de Caio Fernando Abreu, resolvi criar vergonha na cara e comprar um livro dele. Morangos Mofados tem uma capa linda (então, né?!), daquelas que te convidam pra leitura com uma xícara de café.

3. Auggie & Eu
Quem leu Extraordinário deve ter ficado tão louco quanto eu, ao saber que R. J. Palacio lançou um livro com três histórias paralelas a de Auggie. Assim que vi, trouxe pra casa e, bem, a resenha dele sai ainda esse mês.

4. A garota no trem
Tava fazendo uma feira no site da amazon e fiquei super curiosa com a história desse livro. Depois de ter colocado e tirado do carrinho 3 vezes, ele veio e tá ali na estante me esperando.

5. O dia do Curinga
Li O dia do Curinga na adolescência e adorei. Foi indicação de uma colega da escola – que me emprestou na época – e virou um dos meus livros preferidos. 10 anos depois, resolvi ter um pra chamar de meu e ver o efeito dele na minha versão adulta. Vai ter resenha sim. Quando? Não sei.IMG_5103

Filmes

1. Quem é você, Alasca?
Como não estar louca por esse filme depois de ler o livro?

2. Os 8 odiados
Porque é Tarantino.

3. Como eu era antes de você
Comecei o livro hoje e todo mundo fala muito bem da Jojo.

4. Alice através do espelho
Chapeleiro ❤

5. Star Wars: Episódio VIII
Me esperem na pré-estréia.

Séries

Enquanto escrevo, meu uTorrent está trabalhando nos primeiros episódios de:

1. My mad fat diary
Alguém postou uma cena dessa série no facebook e fiquei muito interessada no assunto. Virou torrent.

2. The Blacklist
Metade das pessoas que eu conheço ficam falando que é sensacional e que eu preciso ver e que é muito boa… enfim, virou torrent também.

3. Downton Abbey
A Kaka e a Bru vivem falando sobre essa série no whatsapp e eu demorei, mas me rendi. Vai ter Downton Abbey sim.

4. Daredevil
Marvel, né? Que mais precisa ser dito?

5. House of Cards
Mesmo motivo do item 2. As pessoas precisam parar de me indicar séries. Sério, gente, como vou me formar assim? IMG_5104

E aí? Quais livros, filmes e séries vocês tão se prometendo pra 2016?11230605_925443270811805_1188031399676317210_o

Restrospectiva 2015

Que título brega. Eu sei, mas não consegui pensar em nada melhor.

Acontece que o ano foi acabando, acabando… quando vi: 31 de dezembro e eu não fiz nada do que normalmente faço antes de terminar um ano. Jogar papéis fora? Não. Arrumar o quarto? Não. Planejamento para o ano que vai chegar? Não. Comprar roupa pra virada? Não. Post pro blog? Não. Podem perguntar qualquer coisa, é quase certo que a resposta será não.

Daí fui fazer uma retrospectiva mental de 2015, porque até então eu estava esculhambando muito esse ano e, coitado, ele não merece.

2015 começou com muita chuva, me fazendo adiar o mergulho que é lei todo dia 1º de janeiro. Acho que a praia só me viu lá pelo dia 3, mas teve mergulho pra lavar até a alma. Em seguida peguei o primeiro avião com destino à felicidade: fui pra São Paulo ver Foo Fighters. Eu posso acabar esse post aqui, porque esse show já valeu a vida, mas não, teve mais.

Em 2015 eu comecei a atender como estagiária de Psicologia, consegui definir o tema do meu TCC e fazer o projeto sem grandes problemas, voltei pra análise, fui pra congressos apresentar pesquisas, conheci Campina Grande (só pra dizer que conheci algum lugar novo), voltei em SP, quis ficar lá pra sempre e morri de frio (não estou reclamando).

Comecei 2015 ganhando vários kgs, mas os perdi durante o ano e acabei no 0x0 com a balança. Comi muita gordice, tomei muitos cafés, tive companhias maravilhosas, troquei muitos abraços, lembro de muitos risos e poucas lágrimas. Dancei, apresentei meu primeiro solo, parei de dançar (insira aqui as lágrimas), me matriculei na academia (pode acreditar), trouxe novas plantinhas pra casa, tomei boas cervejas, vi séries e li livros, claro.

Em 2015, eu, a Kaka, a Lola e a Bru, criamos o grupo Discípulas de Carrie, que hoje está repleto de gente linda. ❤

Então vamos ao que eu realmente queria contar pra vocês (esse post vai ficar imenso, desculpa). Esse ano comecei 10 séries novas, mas só amei cinco.
IMG_4841

How to get away with murder, Jessica Jones, Sense8, Orphan Black e Penny Dreadful ganharam meu coração. Mesmo. Orphan Black e Penny Dreadful ainda estão sendo assistidas (calma lá, o dia só tem 24h), mas já têm um lugarzinho especial pra chamar de seu no meu coração.

Também comecei Gossip Girl, Orange is the new black, Breaking Bad, Sherlock e Vikings. Mas nenhuma delas ganhou meu amor verdadeiro (ainda). Vamos ver se elas conseguem mudar isso no ano que vem (sim, vai rolar uma segunda chance).

Melhor série vista esse ano? Gilmore Girls. Resolvi rever a série e morri de amor. Dentre as novas, How to get away with murder.

Agora vamos aos livros. Estabeleci a meta de 20 livros pra 2015 e foi uma das únicas metas que consegui cumprir, na verdade, passar. Foram 31.

Comecei o ano com Alta Fidelidade e estou terminando com Paixão Crônica da Martha Medeiros. Dentre tantos livros que adorei, os que mais me prenderam/marcaram foram esses aqui:

IMG_4860

Melhor livro lido em 2015? Arrisco dizer que foi A verdade sobre o caso Harry Quebert, com medo de estar desmerecendo alguma outra leitura incrível. Sério, foram muitos livros bons.

Já tenho vários livros novos na estante me esperando, mas isso vai ser assunto para outro post. Ano que vem.

E aí acabou. Acabou o ano, acabaram as frustrações por tudo que não deu certo, acabaram as expectativas, e ficou só gratidão por tudo que foi lindo e o desejo que a gente possa respirar fundo e manter nossa fé no mundo e nas pessoas, pra fazer de 2016 um ano lindo.

Obrigada a todos vocês que passam por aqui e feliz ano novo, pessoas! Desejo pra vocês um ano cheio de gente querida, de abraços sinceros, de amores, afetos, olhos brilhando e leveza pra alma. O resto a gente dá um jeito. (;

CosmoTAG: 5 séries do meu coração

Voltei com mais um tema proposto pelas Discípulas de Carrie. Consegui finalizar o projeto da minha monografia (aÊÊ) e ao mesmo tempo as discípulas me vem com o tema séries. Entre um atendimento e um trabalho, vim dar as caras por aqui, porque se tem um tema que eu gosto de falar como se não houvesse amanhã, esse tema é série.

Hoje apresento pra vocês as 5 séries do meu coração. Achei que a escolha seria muito difícil, mas foi absurdamente fácil e isso quer dizer que em breve vou lembrar de alguma série amor (ok, acabei de lembrar de uma), mas as cinco primeiras foram lembradas por alguma razão e são elas que vem pra cá.

  1. The O. C.
    Tananananã Tananananã Tananananãnanã
    The O. C. foi a primeira série que ganhou meu coração. Eu nunca fui boa em acompanhar séries pela TV, meus horários nunca ajudaram, daí nunca conseguia acompanhaaar mesmo, sabe? Vendo todos os episódios na ordem, sem perder nenhum e tal. Veio The O. C. e eu fiquei completamente viciada apaixonada. Consegui acompanhar direitinho por um tempo, mas a escola veio e acabou com minha alegria colocando aulas em todos os horários imaginários (triste vida de estudante de ensino médio). Decidi que não podia viver assim e baixei uma série pela primeira vez. A primeira série baixada nunca será esquecida, por isso The O. C. será sempre a primeira do meu coração (mesmo que eu tenha detestado o final).
    Se por acaso você não assistiu The O. C., não se apaixonou por Ryan ou Seth, não se sentiu miga de Marissa e Summer, amigs, resolve essa questão porque tá errado isso aí. 
  2. Gilmore Girls
    Mais ou menos na mesma época em que assistia The O. C., comecei a ver Gilmore Girls na tv. Curtia muito, mas eu era uma adolescente com horários tortos e foram sete temporadas e eu tava na vibe Ryan/Marissa/Seth/Summer e nada mais importava. Muitos “e’s”, vejam bem.
    Passados mais de 10 anos, alguma coisa aconteceu e eu tive uma vontade louca de saber como a história tinha acabado. Baixei as 7 temporadas esse ano e, como o nome do blog diz, bebi a série. Gente, que série MARAVILHOSA! É impossível não se envolver com Lorelai e Rory. Se você não viu, vai por mim: pega um café e dá o play no primeiro episódio. Não tem erro. O apego foi tanto que quando terminou o último episódio me senti orfã e quis começar tudo de novo, mas daí recebi a notícia mais bonita do ano e agora tá tudo bem. 
  3. Sex and the City
    Não foi à toa que escolhemos o nome Discípulas de Carrie para o grupo. Comecei a ver Sex and the City porque um amigo da faculdade insistiu! Eu tinha uma certa resistência e serei eternamente grata a Ian (thanks, Iano) por me emprestar a primeira temporada (e depois todas as outras). Mais uma vez, devorei a série. Me sentia parte do grupo, era muita identificação e viciei (pra variar). Até hoje sonho em juntar as amigas pra tomar uns Cosmopolitans em Nova York.
    Se você não conhece Carrie, Samantha, Miranda e Charlotte, precisa resolver esse problema também.
  4. Game of Thrones
    Arrisco dizer que é a produção mais incrível que já assisti. Comecei quando a série estava indo pra terceira temporada e a minha grande questão foi “por que eu demorei tanto?”. A série é mara, mas caso você ainda não tenha dado o seu coração, aviso: primeiro desapega porque as pessoas morrem mesmo. Aquele personagem que você tem certeza que será salvo no último segundo… não vai. Trabalha o desapego e entrega esse coraçãozinho, porque apesar das perdas sofridas, é uma das melhores séries que vi na vida. 
  5. How to Get Away with Murder
    HTGAWM ganhou meu coração quando fiquei orfã de Gilmore Girls. Viciei na série logo de cara e bebi os 18 primeiros episódios em menos de 24h. Preciso de rehab, eu sei.
    Não vou falar detalhes sobre a série porque em breve terá um post só sobre ela aqui no blog, só posso adiantar que vale cada minuto. Por ser essa coisa maravilhosa que viciou todas as minhas amigas e me levou junto, HTGAWM conseguiu o 5º lugar nas séries do meu coração. 

11230605_925443270811805_1188031399676317210_o

Gilmore Girls #2

Netflix, eu te amo! Seria um ótimo nome para esse post. Foi minha segunda opção, mas preferi deixar mais óbvio o real assunto que me traz aqui.

Quem visita isso aqui ou me conhece sem conhecer o blog, sabe que eu sou LOUCA por Gilmore Girls. Está facilmente entre as minha séries preferidas, com grandes chances de ser A grande escolhida no meu coração.Há algumas semanas terminei de assistir a última temporada de Gilmore Girls. Fiquei orfã. Foi um ciclo que começou na minha adolescência e depois de tantos anos se fechou. Comecei a assistir GG em 2005 (lá se vão 10 anos, gent), mas fiquei no meio do caminho e esse ano resolvi voltar ao primeiro episódio e ver tudo bonitinho, como um bom viciado em série deve fazer.

Depois que terminei a 7ª temporada de Gilmore Girls… fiquei orfã.Embora tenha sido adotada por outra série maravilhosa – How To Get Away With Murder (assunto para outro post) -, continuei com meu vazio existencial de fins de séries incríveis (que não foram cagadas no meio do caminho, amém!). Daí ontem (chegamos ao motivo desse post) a Kaka linda do Eu Suspiro me manda esse link também lindo, que me conta que a Netflix está negociando a produção de 4 novos episódios de Gilmore Girls, com 90 minutos cada. Meu coração já está fazendo turuturuturu e o dia 19 acaba de ser eleito o mais lindo do meu mês (porque tive outra notícia maravilinda, nesse mesmo nível).Só queria compartilhar essa notícia maravilhosa com vocês e agora vou tomar um café pra comemorar que em breve (por favor, Netflix, não me decepcione) voltarei a tomar cafés com Lorelai e Rory. ❤

Sense8

Minha história com Sense8 começou no momento em que eu vi esse vídeo da Jout Jout. Por que eu não to fazendo as coisas que eu tinha que fazer? Provavelmente porque eu me disse que ia ver um episódio de alguma série e terminei vendo uma temporada inteira.

Minhas aulas voltam hoje e agora estou oficialmente no último ano, tenho um TCC pra fazer e uma prova de mestrado também, além dos atendimentos, supervisão e as disciplinas normais (se eu desaparecer – muito possível – já sabem o que foi). Então tive o bom senso de dizer pra mim mesma “sem séries novas até terminar tudo isso, tá bom? Então tá bom“. Tive o bom senso de dizer, mas não de seguir, porque no dia em que vi o vídeo da Jout Jout, baixei os 5 primeiros episódios de Sense8. Amor próprio? Não trabalhamos.Acho difícil explicar Sense8, mas basicamente existem 8 pessoas – sensates – que passam a ter suas consciências “compartilhadas” entre si, dividindo sensações e habilidades, meio telepatas. Mas a série vai além disso, retratando as histórias de pessoas totalmente diferentes, espalhadas por diferentes países, falando línguas diferentes, com culturas, habilidades e problemas diferentes. Obviamente os problemas da vida não são suficientes e existe uma corporação caçando-os e tentando matá-los. 
Eu assisti os 12 episódios da primeira temporada em dois dias e adianto que o primeiro episódio é estranho, quando ele termina você tá meio (ou muito) perdido. Acho que o primeiro serve basicamente pra apresentar os personagens e leva mais de uma hora pra isso (vejam, muitas histórias). A série foi me ganhando gradualmente e no 5º episódio eu estava totalmente viciada. A série foi criada pelos irmãos Wachowski (sim, os de Matrix) e já merece créditos gratuitos por isso. Misturando ficção científica, drama e romance, Sense8 já teve sua segunda temporada confirmada e para entender melhor tudo que eu me enrolei pra explicar, assiste ao trailer aqui. (;

sense8

Outlander

Depois de semanas com o primeiro episódio de Outlander olhando pra mim aqui no computador, decidi que era hora de abrir meu coraçãozinho para ele e perder o medo do vício iminente.outlanderOutlander estreou em agosto do ano passado e eu só tinha ouvido coisas boas sobre ela. A série é narrada pela inglesa Claire Randall (Caitriona Balfe), uma enfermeira que em 1945, após o fim da Segunda Guerra Mundial, viaja para a Escócia com o marido Frank (Tobias Menzies) para uma “lua de mel”, na verdade, uma tentativa de reaproximação/reconhecimento depois de 5 anos separados pela guerra. Durante a viagem, Claire volta no tempo, e se descobre sozinha, no mesmo lugar, mas no ano de 1743, no meio de uma guerra.

Em busca do marido, Claire encontra o antepassado dele, Capitão Black Jack Randall – que poderia ser definido como um dos seres humanos mais detestáveis da história -. Fugindo do Capitão Randall, ela é encontrada pelo clã escocês MacKenzie, conhece Jamie Fraser (Sam Heughan) e as coisas começam a acontecer.

O primeiro episódio, Sassenach, é ok, nada demais. Depois dele eu comecei a desconfiar levemente de tudo que tinham me falado. Daí fui assistindo aos episódios de forma despretensiosa e… ok. Achei todos “ok”, mas já falei que sou curiosa e não consegui simplesmente deixar pra lá. Sorte a minha, viu? Porque ao final do sexto episódio eu estava apaixonada por Jamie Outlander.

No sétimo episódio, The Wedding, eu morri umas três vezes e decidi que nunca, jamais abandonarei Outlander, que já é a minha queridinha, ao lado de Revenge. Daí o oitavo episódio acabou e eu to aqui sofrendo, porque não sei como vou passar tanto tempo sem Jamie. Vale salientar que assisti os oito episódios, cada um com mais de 50 minutos, em 3 dias e aconselho: não façam isso, porque depois vem a crise de abstinência.

A série é baseada em A Viajante do Tempo de Diana Gabaldon, produzida pelo canal Starz e a primeira temporada conta com 16 episódios, mas até agora só 8 foram ao ar e os demais vão ser exibidos a partir do dia 4 de Abril. A segunda temporada já está confirmada e prevista para Agosto. Você pode conferir o trailer aqui.

5Nota: 5 baldinhos de pipoca

Grey’s Anatomy

★★★★★

Hoje tem mais drama, mais emoção e mais série aqui no CLBS. Hoje tem Grey’s Anatomy! Esta é uma série que me cativou desde o Pilot e fazendo jus ao nome do blog, literalmente bebi 9 temporadas em pouco mais de um mês.

greys_anatomy

Grey’s Anatomy é um drama médico que está no ar desde 2005, mas como nem só de drama vive o homem por aqui tem de tudo, romance, comédia e muita emoção.

A trama da série foca em Meredith Grey e em seus colegas: Cristina, Izzie, George e Alex, todos integrantes do programa de internos do fictício hospital cirúrgico Seattle Grace, em Seattle, Washington, um dos programas mais rígidos do país. Mostrando suas vidas amorosas e as dificuldades pelas quais passam no trabalho.

Grey+Anatomy+Grey+Anatomy+Season+1+Episode+wyvs-l9G_Wjl

Meredith é filha da renomeada cirurgiã Ellis Grey e vive em meio a dramas pessoais e problemas com a mãe, Cristina é a interna durona, muito competente e sem sentimentalismo, Izzie é a que pagou a faculdade de medicina fazendo trabalhos como modelo e sempre se envolve demais com os pacientes, George é o menino bonzinho, sempre certinho e que não se dá tão bem com as mulheres, já o Alex é o odiado por todos, sarcástico e arrogante.

É interessante ver as peculiaridades de cada personagem, como evoluem durante a trama, seus sucessos e fracassos, a maneira como os quatro colegas – tão diferentes – se tornam melhores amigos. Sem falar dos casos médicos que aparecem na série (muito bem feitos por sinal), casos raros, cirurgias de tirar o fôlego, é um deleite para os curiosos – assim como eu 😀 – que curtem ver coisas da medicina.

08

A série tem várias coisas que eu poderia destacar, então escolhi algumas delas:

Personagens apaixonantes:

Cristina Yang a interna mais talentosa, vista por seus colegas como uma máquina sem sentimentos cujo objetivo é ser uma das maiores cirurgiãs do país. Com seu temperamento difícil ela cativa a todos, é bom demais ver a evolução dessa personagem ao longo das temporadas, como ela se torna exemplo para os novos internos e colegas de trabalho, sua relação com os amigos e seus amores turbulentos.

Miranda Bailey, apelidada de “Nazista” por sua rigidez e dureza com os alunos, é a residente mais carismática de todas, que por trás de toda rigidez se mostra uma pessoa sensível e justa. Além de ensinar medicina a seus internos, ensina valores, humanidade.

greys_anatomy_f_015

E como não falar da trilha sonora dessa série?! Que é simplesmente linda!

Outro ponto que eu acho simplesmente demais é que no fim de cada episódio além da música tem uma reflexão, como se fosse a “moral” da história do episódio.

E como nem tudo são flores, têm algumas coisas que não gostei na série. Uma delas é o final de alguns personagens, tudo bem que eles saíssem da série e tal, mas podiam ter feito um final digno da importância que o personagem teve na série até o memento.

Grey’s Anatomy tem como criadora Shonda Rhimes e possui 10 temporadas, com a 11ª já confirmada. Como a série é longa o elenco principal foi se modificando ao longo das temporadas e inicialmente conta com: Ellen Pompeo (Drª. Meredith Grey); Sandra Oh (Drª. Cristina Yang); Chandra Wilson (Drª. Miranda Bailey); T. R. Knight (Dr. George O”Malley); Justin Chambers (Dr. Alex Karev); Katherine Heigl (Drª. Isobel “Izzie” Stevens); James Pickens Jr. (Dr. Richard Webber); Patrick Dempsey (Dr. Derek Shepherd) e Isaiah Washington (Dr. Preston Burke).

É uma série pra quem gosta de medicina, pra quem é só curioso, pra quem gosta de drama e reflexões sobre coisas reais do cotidiano, Grey’s Anatomy é uma série apaixonantemente interessante e apesar das últimas temporadas não serem tão boas quanto as primeiras, vale muito a pena assistir todas (se é que alguém vai conseguir parar depois de começar kkk).

É isso, divirtam-se com ela!

:-*

The Vampire Diaries

★★★★

Mais uma série por aqui, mais um amor à primeira vista. Sempre tive a impressão que The Vampire Diaries era uma dessas séries “bobas”, mas como tenho um fraco por vampiros, resolvi fazer o teste e eis o resultado: amor. Não consegui mais parar, sofri com cada season finale e esperei arduamente os séculos que parecem durar o intervalo entre uma temporada e outra.

Imagem

The Vampire Diaries foi lançada em 2010 e misturando drama, suspense e um bocado de romance, conta uma série de eventos que acontecem na cidade fictícia de Mystic Falls. A série foca no triângulo amoroso formado por Elena Gilbert e os irmãos Salvatore.

Elena é uma adolescente popular, que ainda está lidando com o trágico acidente que matou seus pais e do qual apenas ela saiu viva; Stefan Salvatore é o vampiro “politicamente correto”, enquanto Damon Salvatore é o seu oposto. Os dois irmãos vivem em pé de guerra e tem pontos de vista bem divergentes sobre “ser vampiro”. O que Elena não sabe, é que ela chama atenção dos dois por ter uma enorme semelhança com Katherine, um amor que eles tiveram no passado.

Alguns momentos da série foram difíceis pra mim – como heroísmos exagerados e todo mundo vivendo em função de Elena -, mas entre vampiros, cópias, lobisomens, híbridos, bruxas, originais, âncoras, anéis mágicos, humanos e muitas garrafas de bebida, tem sempre algo (ou alguém) novo pra você odiar ou se apaixonar.

Imagem

Destaques:

os irmãos Salvatore, porque… né?! Por conta das personalidades opostas, às vezes fica difícil saber de quem gostar mais e a torcida varia muito no decorrer da série.

Imagem

Imagem

Os híbridos. Na série lobisomens podem ser transformados em híbridos, virando vampiros e lobisomens ao mesmo tempo.

Aceitando minha grande inclinação pelo sobrenatural, a união das histórias de vampiros, lobos e bruxas também é muito legal.

Klaus e sua cara de pau força de vontade.

Imagem

The Vampire Diaries foi criada por Marcos Siega, Liz Friedlander e Kevin Bray, tem como roteiristas Julie Plec, L. J. Smith, Kevin Williamson, Brian Young, e foi baseada nos livros de L. J. Smith. O elenco principal conta com Nina Dobrev (Elena Gilbert), Paul Wesley (Stefan Salvatore), Ian Somerhalder (Damon Salvatore), Steven R. McQueen (Jeremy Gilbert), Katerina Graham (Bonnie Bennett), Candice Accola (Caroline Forbes), Zach Roerig (Matt Donovan) e Michael Trevino (Tyler Lockwood).

Até o momento são 5 temporadas, com uma média de 22 episódios em cada, e a 6ª temporada já está confirmada! 😀

Pra quem já viu todas as temporadas, compartilhem o sofrimento da season finale da 5ª temporada, por favor! Pra quem não viu, corre que ainda dá tempo!

*=