CosmoTAG: 5 personagens de livros para ser amiga

Em abril, o grupo Discípulas de Carrie lançou essa CosmoTAG, mas como estava ausente dessa vida, resolvi responder agora. Atrasada sim, mas quem se importa?

Todos os livros que realmente gosto contam com o fato de eu ter me envolvido emocionalmente com um ou mais personagens. Sempre tem um amor platônico, alguém pra quem preciso dizer umas verdades, alguém que quero socar a cara, puxar a orelha ou que quero abraçar e dizer “vem cá, migs”. É esse post é sobre essas últimas pessoinhas.

1. Eleanor
Quando fiz esse post falando sobre Eleanor & Park, falei que queria ser amiga da Eleanor. Queria mesmo. Queria dar um abraço nela e dizer que tudo ia ficar bem. Sofri as dores dela, torci por ela e Park, e chorei até desidratar no final. Eleanor, miga, vem cá, senta aqui, vamos conversar.

2. Auggie
Extraordinário é um dos meus livros preferidos da vida e 90% disso é culpa do Auggie. Que personagem maravilhoso

3. Emma
Sim, claro, com certeza. Um dia também está na minha lista de queridinhos e se eu quis TANTO esculhambar Dexter, foi pela amizade que eu obviamente tinha com Emma. O tanto que eu chorei no final daquele livro, também tem uma relação óbvia com essa amizade.

4. Louisa Clark
Se alguém leu Como eu era antes de você e não terminou miga da Lou, precisa rever isso aí. Eu já a adorava no livro, depois do filme então… amiga pra vida toda. Até hoje não superei aquele final, não aceitei nada do que aconteceu e vou passar o resto da vida esperando um final diferente, mesmo depois de ler Depois de você. Lou, miga, vamos conversar ali em Paris.

5. Laurel
Em Cartas de amor aos mortos, assim como em Eleanor & Park, foi um apego tão forte que sofri junto, me apaixonei junto, detestei junto e, Laurel, senta aqui, comigo e com Eleanor, vamos conversar.

Quero saber os personagens que vocês gostariam de ser amigs também. Quem sabe não acho umas novas amizades literárias por indicação?!

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

Cartas de amor aos mortos

★★★★

Semana passada fui comprar o presente de aniversário pra uma amiga (Extraordinário, minha indicação de livro pra vida) e não consegui sair da livraria sem nada pra mim. x) Cartas de amor aos mortos foi escolhido pelo nome e confirmado pela capa (eu e meu fraco por capas bonitas).

capa

Então, dá o play no In Utero e vamos lá.

No livro, Laurel é uma adolescente que acaba de começar o ensino médio e, por conta da morte da sua irmã, resolve mudar de escola pra não ter que lidar com os olhares e perguntas que ela não conseguiria responder. May, sua irmã, sempre foi a garota perfeita, o elo da família, a inspiração, e Laurel não consegue entender, nem aceitar a morte dela.

Laurel intercala suas semanas entre morar com o pai e com sua tia Amy, super religiosa, uma vez que sua mãe foi embora após a morte da irmã. Na nova escola ela faz amizade com Hannah, Natalie, Kristen e Tristan, e se apaixona por Sky, um garoto misterioso que também é novato.

5

Na aula de inglês a professora passa uma tarefa inusitada: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel escreve sua primeira carta para Kurt Cobain, mas a acha pessoal demais para entregar a professora, e assim começa uma sequência de cartas para pessoas mortas, como Amy Winehouse, Jim Morrison, Janes Joplin, Allan Lane, John Keats, entre outras, nas quais ela vai “analisando” a vida deles, tentando entender suas mortes, enquanto vai contando as coisas que acontecem com ela.

001

Adorei acompanhar a evolução de Laurel, suas descobertas, sua forma de lidar com os acontecimentos, e principalmente a mudança de perspectiva sobre sua irmã, que ela via como uma pessoa perfeita, inalcançável e inabalável, mas que aos poucos vai percebendo a “fada” como um ser humano.

006

Não sei exatamente o porque, mas demorei um pouco pra entrar no ritmo do livro. No começo achei legal, mas nada demais, não seria o livro da minha vida, até que alguma coisa aconteceu e eu não consegui mais largar as cartas de Laurel até chegar no ponto final. O livro é lindo, mesmo, muito, mais um pra lista do “chorei rios”. Me identifiquei demais com Laurel e, assim como em Eleanor & Park, tive vontade de entrar no livro, ser amiga de Laurel, dar um abraço nela e dizer que eu a entendia. Também adorei os amigos dela e a-do-rei Sky <3. Mesmo quando quis dar uns tapas nele, achei ele incrível. Muito amor.

002

O livro tem um “trilha sonora” incrível, com o In Utero do Nirvana sendo o carro chefe, mas que também conta com Amy, The Doors, Janis Joplin, Guns, entre outros. Além das músicas também são citados filmes e séries, um monte de referências legais. Ainda estou com Amy cantando Back To Black repetidamente na minha rádio mental desde que terminei o livro.

004

Cartas de amor aos mortos foi escrito por Ava Dellaira, lançado no Brasil pela editora Seguinte esse ano e custa em média R$29,90.

Espero que gostem e boa leitura =*