Sense8

Minha história com Sense8 começou no momento em que eu vi esse vídeo da Jout Jout. Por que eu não to fazendo as coisas que eu tinha que fazer? Provavelmente porque eu me disse que ia ver um episódio de alguma série e terminei vendo uma temporada inteira.

Minhas aulas voltam hoje e agora estou oficialmente no último ano, tenho um TCC pra fazer e uma prova de mestrado também, além dos atendimentos, supervisão e as disciplinas normais (se eu desaparecer – muito possível – já sabem o que foi). Então tive o bom senso de dizer pra mim mesma “sem séries novas até terminar tudo isso, tá bom? Então tá bom“. Tive o bom senso de dizer, mas não de seguir, porque no dia em que vi o vídeo da Jout Jout, baixei os 5 primeiros episódios de Sense8. Amor próprio? Não trabalhamos.Acho difícil explicar Sense8, mas basicamente existem 8 pessoas – sensates – que passam a ter suas consciências “compartilhadas” entre si, dividindo sensações e habilidades, meio telepatas. Mas a série vai além disso, retratando as histórias de pessoas totalmente diferentes, espalhadas por diferentes países, falando línguas diferentes, com culturas, habilidades e problemas diferentes. Obviamente os problemas da vida não são suficientes e existe uma corporação caçando-os e tentando matá-los. 
Eu assisti os 12 episódios da primeira temporada em dois dias e adianto que o primeiro episódio é estranho, quando ele termina você tá meio (ou muito) perdido. Acho que o primeiro serve basicamente pra apresentar os personagens e leva mais de uma hora pra isso (vejam, muitas histórias). A série foi me ganhando gradualmente e no 5º episódio eu estava totalmente viciada. A série foi criada pelos irmãos Wachowski (sim, os de Matrix) e já merece créditos gratuitos por isso. Misturando ficção científica, drama e romance, Sense8 já teve sua segunda temporada confirmada e para entender melhor tudo que eu me enrolei pra explicar, assiste ao trailer aqui. (;

sense8