O dia do curinga

Quando era adolescente, uma amiga da escola me emprestou O dia do curinga e lembro de ter gostado demais. Foi meu primeiro contato com Jostein Gaarder – tempos depois comecei O Mundo de Sofia, mas até hoje não terminei -.

Daí, não sei porque, um tempo atrás me deu vontade de reler. A verdade é que minha memória não é das melhores e eu não lembrava da história. Daí esperei o site da amazon distribuir o combo do amor – promoção + frete grátis – e agora tenho um O dia do curinga pra chamar de meu. IMG_8689.JPGNo livro, Hans-Thomas e seu pai cruzam a Europa procurando a mulher que os abandonou oito anos antes. No meio da viagem, o garoto recebe uma lupa e um livrinho com letras microscópicas que contém a história da ilha mágica e da bebida púrpura. Nessas viagens que se entrelaçam, Hans-Thomas é iniciado no pensamento filosófico e passa a obter conhecimentos sobre si e sobre o seu passado, além de nos fazer parar para refletir sobre diversas coisas e diferentes aspectos da vida.

O livro é dividido em naipes e números das cartas de baralho, o que eu acho muito legal. A leitura é bem tranquila, não dá vontade de parar até terminar. Esperei 10 anos para reler  o livro e gostei tanto quanto… ou mais. Leitura muito válida, fica a sugestão.


Livro: O dia do curinga
Autor: Jostein Gaarder
Editora: Seguinte
Páginas: 378