O dia do curinga

Quando era adolescente, uma amiga da escola me emprestou O dia do curinga e lembro de ter gostado demais. Foi meu primeiro contato com Jostein Gaarder – tempos depois comecei O Mundo de Sofia, mas até hoje não terminei -.

Daí, não sei porque, um tempo atrás me deu vontade de reler. A verdade é que minha memória não é das melhores e eu não lembrava da história. Daí esperei o site da amazon distribuir o combo do amor – promoção + frete grátis – e agora tenho um O dia do curinga pra chamar de meu. IMG_8689.JPGNo livro, Hans-Thomas e seu pai cruzam a Europa procurando a mulher que os abandonou oito anos antes. No meio da viagem, o garoto recebe uma lupa e um livrinho com letras microscópicas que contém a história da ilha mágica e da bebida púrpura. Nessas viagens que se entrelaçam, Hans-Thomas é iniciado no pensamento filosófico e passa a obter conhecimentos sobre si e sobre o seu passado, além de nos fazer parar para refletir sobre diversas coisas e diferentes aspectos da vida.

O livro é dividido em naipes e números das cartas de baralho, o que eu acho muito legal. A leitura é bem tranquila, não dá vontade de parar até terminar. Esperei 10 anos para reler  o livro e gostei tanto quanto… ou mais. Leitura muito válida, fica a sugestão.


Livro: O dia do curinga
Autor: Jostein Gaarder
Editora: Seguinte
Páginas: 378

Cartas de amor aos mortos

★★★★

Semana passada fui comprar o presente de aniversário pra uma amiga (Extraordinário, minha indicação de livro pra vida) e não consegui sair da livraria sem nada pra mim. x) Cartas de amor aos mortos foi escolhido pelo nome e confirmado pela capa (eu e meu fraco por capas bonitas).

capa

Então, dá o play no In Utero e vamos lá.

No livro, Laurel é uma adolescente que acaba de começar o ensino médio e, por conta da morte da sua irmã, resolve mudar de escola pra não ter que lidar com os olhares e perguntas que ela não conseguiria responder. May, sua irmã, sempre foi a garota perfeita, o elo da família, a inspiração, e Laurel não consegue entender, nem aceitar a morte dela.

Laurel intercala suas semanas entre morar com o pai e com sua tia Amy, super religiosa, uma vez que sua mãe foi embora após a morte da irmã. Na nova escola ela faz amizade com Hannah, Natalie, Kristen e Tristan, e se apaixona por Sky, um garoto misterioso que também é novato.

5

Na aula de inglês a professora passa uma tarefa inusitada: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel escreve sua primeira carta para Kurt Cobain, mas a acha pessoal demais para entregar a professora, e assim começa uma sequência de cartas para pessoas mortas, como Amy Winehouse, Jim Morrison, Janes Joplin, Allan Lane, John Keats, entre outras, nas quais ela vai “analisando” a vida deles, tentando entender suas mortes, enquanto vai contando as coisas que acontecem com ela.

001

Adorei acompanhar a evolução de Laurel, suas descobertas, sua forma de lidar com os acontecimentos, e principalmente a mudança de perspectiva sobre sua irmã, que ela via como uma pessoa perfeita, inalcançável e inabalável, mas que aos poucos vai percebendo a “fada” como um ser humano.

006

Não sei exatamente o porque, mas demorei um pouco pra entrar no ritmo do livro. No começo achei legal, mas nada demais, não seria o livro da minha vida, até que alguma coisa aconteceu e eu não consegui mais largar as cartas de Laurel até chegar no ponto final. O livro é lindo, mesmo, muito, mais um pra lista do “chorei rios”. Me identifiquei demais com Laurel e, assim como em Eleanor & Park, tive vontade de entrar no livro, ser amiga de Laurel, dar um abraço nela e dizer que eu a entendia. Também adorei os amigos dela e a-do-rei Sky <3. Mesmo quando quis dar uns tapas nele, achei ele incrível. Muito amor.

002

O livro tem um “trilha sonora” incrível, com o In Utero do Nirvana sendo o carro chefe, mas que também conta com Amy, The Doors, Janis Joplin, Guns, entre outros. Além das músicas também são citados filmes e séries, um monte de referências legais. Ainda estou com Amy cantando Back To Black repetidamente na minha rádio mental desde que terminei o livro.

004

Cartas de amor aos mortos foi escrito por Ava Dellaira, lançado no Brasil pela editora Seguinte esse ano e custa em média R$29,90.

Espero que gostem e boa leitura =*