My Mad Fat Diary

my_mad_fat_diary_by_apollojr-d5zp4ry

Rae Earl tem 16 anos e acaba de sair de um hospital psiquiátrico. No caminho de volta para a casa de sua mãe, em Lincolnshire, Rae encontra Chloe – uma antiga amiga – que acabou de entrar para um novo grupo e a convida para encontrá-los no bar. É aí que Rae conhece a turma e a história começa a acontecer.

tumblr_mqwdjoyb4n1su88xno1_500

Os personagens são incríveis, porque estão todos longe da perfeição. No hospital, Rae tem dois amigos, Tix e Dany, ambos ótimos (Tix ganhou meu coração & lágrimas). Na turma, meus queridinhas foram Archie ❤ e Finn ❤ (e Finn e Finn e Finn), também gostei de Izzy, ri muito com Chop e, apesar de ter muito abuso da Chloe algumas vezes, gostei dela também.

Meus queridinhos:

tumblr_mk9gwo7bey1qeysf2o2_500
Tix ❤ jogando umas verdades na cara de Rae.
large
Archie ❤
tumblr_n26u7g1p0t1r81s8wo3_500
❤ Finn ❤

My Mad Fat Diary se passa na década de 1990 e mostra a rotina de Rae, uma adolescente obesa, que se considera louca, mas na verdade é só louca por música e por garotos, escreve tudo no seu diário e tem grandes dificuldades em se aceitar. Rae não se sente à vontade consigo, nem com o mundo, tem grandes problemas com a mãe e uma relação difícil com seu terapeuta, Dr. Kester (que está longe da “normalidade”, mas é incrível). Durante todas as sessões de Rae com Kester fiquei pensando o que eu faria como terapeuta, porque infelizmente o problema de Rae é mais comum do que parece.

giphy

Mas daí as coisas realmente começam a acontecer e – eu estou me controlando muito para não dar nenhum spoiler – só posso dizer que é incrível! É maravilhoso acompanhar a evolução da trama, dos personagens e especialmente a evolução de Rae.

tumblr_myucvw2d4x1sz9bxvo1_500

Embora os assuntos tratados na série sejam super sérios, eu dei muitas, muitas, MUITAS risadas! Além dos personagens e da história, duas coisas chamaram bastante minha atenção:
1. a trilha sonora com Oasis, Radiohead, Massive Atack, Blur, Portishead, dentre outras maravilhas da década de 90;
2. as cenas com desenhos.

large

Deixa eu só dar mais uma ênfase ao assunto: My Mad Fat Diary é a série com a melhor trilha sonora da história. As músicas foram me ganhando desde o primeiro episódio, mas depois que tocou Glory Box, não havia mais nada a ser dito. Melhor trilha sonora pra sempre e isso não é discutível.

rae-earl-3

My Mad Fat Diary foi lançada em 2013 e tem uma linguagem BEM adolescente, tratando de um assunto BEM sério. Foram ao ar 3 temporadas, somando 16 episódios, cada um com uma média de 45 minutos. A série foi encerrada em 2015 e, pra mim, não ficou devendo nada, só deixou saudade.

MMFD

 

Gilmore Girls

Eu assistia Gilmore Girls na adolescência. Acompanhei por um tempo, mas comecei a perder um episódio e outro e outro e PAN, parei. Daí que um tempo atrás, não sei porque, fiquei curiosa pra saber os detalhes que eu tinha perdido, me deu saudade e eu decidi começar do zero e ver a série toda de novo.

Acabei de terminar a 3ª temporada e, gente, quero que dure pra sempre. Eu to completamente viciada apaixonada e cada hora livre do meu dia é destinada a um episódio. Nível de vício: atrasei Outlander e GOT (mas vou resolver isso, já que a 4ª temporada ainda está baixando).

Gilmore Girls recebeu a terrível tradução “Tal mãe, tal filha”, mas isso será ignorado por aqui. A série mostra o dia a dia de Lorelai Gilmore e da sua filha, Rory, que moram na pequena cidade Stars Hollow. Lorelai teve Rory aos 16 anos e isso causou uma mudança imensurável na sua vida. Filha de pais extremamente tradicionais, Lorelai resolveu não casar com o namorado, não ir pra faculdade e ainda saiu de casa com o bebê nos braços, o que levou a um agravamento na sua –  já não tão boa – relação com seus pais.

                                                            Eu aprecio, Emily! o/

Lorelai é engraçada, trabalha numa pousada e é totalmente viciada em café. Rory é super responsável, está estudando loucamente para entrar em Harvard, não vive sem livros e herdou o vício em café da mãe. A relação entre as duas é incrível, os diálogos são extremamente divertidos e eu tenho diversos momentos de grande identificação, principalmente com Lorelai.

É fácil se apegar aos demais personagens como Sookie, Luke, Richard, Emily, Lane, Michel, Cristopher, Dean (♥) e até Paris e Jess. Não quero falar muito mais pra não soltar nenhum spoiler.

Gilmore Girls é uma série leve, divertida e emocionante. Pra provar que não sou a única a pensar desse jeito, mesmo a série tendo sido encerrada em 2007, após sua 7ª temporada, fala-se sobre a possibilidade de uma 8ª que, obviamente, já quero!

Nota: ♥♥♥♥♥

Adeus Revenge

Revenge acabou já tem um tempinho, mas não tinha conseguido parar ainda para dar esse adeus.

Eu tinha falado por aqui tempos atrás o final dos meus sonhos: David Clarke dava um pé em Victoria (ou ela morria) e encontrava uma bonitona bem legal, Emily e Daniel voltavam e a série acabava assim, linda e feliz, com todos satisfeitos. Claro que as coisas não foram simples assim, mas eu acertei uns 50% dos acontecimentos.

Acontece que Revenge já tinha virado novela mexicana e eu já estava chamando Amanda Clarke de Emily Bracho, porque, né? Mereceu. Visto que tenho um trauma com séries boas com finais ruins, eu estava torcendo MUITO pra série acabar logo e ter um final decente pra chamar de seu.

Apesar das opiniões sobre o final da série divergirem, particularmente, gostei. A season finale foi cheia de altos e baixos e chegou num ponto em que as coisas estavam andando tão ruins, que estava esperando bem menos. Fiquei triste por David ter morrido, mas em compensação tive a morte de Victoria. Tudo bem. Empate. Até porque antes de David morrer teve o momento emoção com Jack pedindo a mão de Emily. ❤

Depois da morte de Aiden e Daniel, Amanda tinha que ficar com Jack. Era isso, não tinha outra opção. Quando ela começou a se enrolar com aquele policial chuchu fiquei com um medinho que estragassem tudo deixando-a com ele no final, mas deu tudo certo. Amanda e Jack, casados e felizes para sempre.

É possível sim, miga! 😉

Só teve uma coisa que eu realmente não gostei: o fim de Nolan. Meu queridinho sofreu por amor a série inteira e terminou só. Achei triste, achei chato, achei que ele merecia um amor pra chamar de seu.

Então é isso. Adeus, Revenge. Foi bom enquanto durou, mas nosso adeus foi essencial.

Ah, sobre a cena final: Vocês acham que Amanda recebeu mesmo o coração de Victoria?

In Treatment

Conheci a série In Treatment há dois anos numa aula de Psicanálise. A professora queria que assistíssemos a uma das sessões e discutíssemos sobre ela. Acontece que depois de ver a primeira sessão de Sophie, eu não aguentei e vi todas as outras no mesmo dia. É, comecei toda errada, sem respeitar sequência, nem nada.

In Treatment é uma adaptação americana da israelense BeTipul, que também teve uma adaptação brasileira, Sessão de terapia.

Na versão americana, Paul Weston é um terapeuta e a série traz as sessões semanais dos seus pacientes. Na primeira temporada acompanhamos as sessões de Sophie, Alex, Laura e do casal Amy e Jake, além das sessões de Paul com sua terapeuta Gina (que pra mim são as mais interessantes). Além desses personagens, temos a família de Paul, sua mulher e três filhos.

Como eu já disse, depois da primeira sessão, não consegui mais parar, mas depois de ver todas as sessões de Sophie, comecei de novo, e assisti todos os episódios na ordem (assistam na ordem, é importante). Cada episódio tem entre 20 e 30 minutos de duração e eu termino me perguntando a mesma coisa que me pergunto na clínica: Como pode tão pouco tempo render tanto? A carga de informações, análises e descobertas em cada sessão é enorme e eu como estudante de psicologia mal consigo piscar os olhos.

Acontece que quando comecei a segunda temporada tive problemas com internet e tive que ficar adiando os próximos episódios, até que se passaram dois anos e txaram voltei pra maratona.

Passei o feriado assistindo a segunda temporada de In Treatment e GENTE, demais, viu?! Acho até que superou a primeira. April, Oliver, Walter e Mia são os pacientes, Paul continua fazendo terapia com Gina e as sessões estão ainda mais incríveis, ricas em conteúdo e emocionantes.

Comecei a terceira temporada e estou com muitas expectativas, mas não vou dizer porque pra não dar spoiler do final da segunda temporada. Sério, assistam! Vale muito!

In Treatment foi lançada em 2008 e finalizada em 2010. Foram três temporadas que somaram 106 episódios, 43 na primeira temporada, 35 na segunda e 28 na terceira. A série retrata muito bem as sessões de terapia e eu quero ser que nem Paul (ou Gina) quando eu crescer me formar.

Nota: ♥♥♥♥♥

Elas voltaram!

Revenge voltou, Once Upon a Time também.

Duas das minhas séries preferidas voltaram ao mesmo tempo e em homenagem a esse acontecimento maravilhoso, esse post deveria ter saído semana passada, quando eu vi e amei o primeiro episódio de Revenge, que já chegou prometendo muita emoção, e o primeiro de OUAT, que também não ficou pra trás. Mas quer saber? Foi ótimo esse post não ter saído semana passada, porque ontem eu vi o segundo episódio das duas séries e bem… as coisas mudaram.

CUIDADO, contém spoiler. 😉

Vamos começar por OUAT. Eu amei o primeiro episódio. Achei que Anna e Elsa (de Frozen) foram super bem retratadas, que conseguiram encaixa-las perfeitamente, só achei errado Robin não ficar com Regina, mas acredito que isso seja questão de tempo. Continuo achando o casal Branca de Neve + Príncipe Encantado sem graça, continuo gostando de Emma, estou gostando mais de Regina, acho que Henry cresceu demais e Hook continua lyndo. ❤
Sobre o segundo episódio, odiei a peruca do David, achei meio furada a história dele com Anna, tive mais abuso da Branca de Neve e bem… vamos esperar e ver no que vai dar.

Daí chegamos em Revenge. Gente, O QUE FOI aquele primeiro episódio? Muita tensão, muita emoção, Emily divando como sempre. Amei! Fiquei tão tensa com aquele final que não aguentava mais esperar pelo segundo episódio. Eis que me chega o segundo episódio. POR QUE? POR QUE, meu Deus? POR QUE eu preciso ser essa pessoa que cria expectativas? Por que em 25 anos eu ainda não aprendi? POR QUE?

Primeiro, me digam que é brincadeira que depois de todos esses anos, David Clarke realmente acha que Victoria foi uma vítima assim como ele e que PAN!, agora ele voltou para eles ficarem juntos para sempre. SÉRIO, BRASIL? Cadê a emoção? Cadê a parte que ele dá uma surra nela? Cadê o momento em que ele a tranca na cela e diz que agora ela vai sentir tudo que ele sentiu? Não tem? :~ Não, Juliana, não tem. O que tem é Victoria sendo Victoria mais uma vez, ao dizer pra ele que Emily destruiu sua vida.

Mas calma, gente! A coisa sempre pode piorar. Após ver Charlotte prestes a tentar se suicidar, Emily/Amanda resolve salvá-la e contar toda a verdade. Ela conta TUDO, tudinho! Entrega até a caixa com os diários, fotos e… tudo. O que Charlotte faz? Surta! Até aí tudo bem, ela já era surtada desde a segunda temporada (pelo que me lembro). O que você espera? Numa novela da globo, que ela abrace Emily e sejam felizes para sempre, mas em Revenge, que ela se drogue até ter uma overdose, seja internada, caia em si, abrace Emily e seja feliz para sempre até alguma outra tragédia acontecer. O que acontece? Ela surta num nível master e… resolve queimar o bar de Jack com Emily desmaiada lá dentro. E assim terminamos o segundo episódio.

Sim! Eu quero diferente! Quero Charlotte diferente. Eu já tinha abuso da personagem, mas agora a parada ficou séria. Não ia me importar nem um pouco se no próximo episódio o diretor brigasse com a atriz e matasse a personagem (Marissa feelings). Qual é a dessa temporada? Mostrar que Charlotte é mesmo filha de Victoria? Isso a gente já sabe. Ela era a boa moça que se perdeu no caminho e deveria voltar pros trilhos com a ajuda de Emily, e não querer vingança contra ela. Tá tudo errado!

Oremos por terceiros episódios melhores, porque não aceito que entrem na vibe True Blood e venham com um final daqueles. De novo não. emily3

Adeus True Blood

Esse post contém alto índice de spoiler.

O último episódio de True Blood foi exibido semana passada e eu me dei o direito de adiar o sofrimento por alguns dias. Assisto a séries desde o começo e não sou boa com despedidas. Além disso tinha lido algumas críticas sobre o livro e bem… elas não foram das melhores. Acho que, nesse tempo de espera, eu contava que alguém dissesse que era tudo pegadinha e refizessem o final.

Esse post vai ser dividido em expectativa e realidade e sim, ele contém diversas informações sobre o final da série. Se você ainda quer ver e quer ser pego de surpresa, não leia.

Expectativa

Minha expectativa para o final de True Blood era meio óbvia, depois de Bill ter se negado a tomar a cura para a hepatite V, Sookie teria a genial ideia de colocar o sangue da loira-azeda numa seringa e aplicaria em Bill, simples assim. Eles iam terminar juntos e seriam felizes pelo tempo que a jovialidade dela deixasse. Talvez, vendo que estava ficando mais velha que ele, ela tivesse uma crise existencial e resolvesse virar vampira para os dois viverem juntos pela eternidade, sei lá, isso não entraria no final. Eles simplesmente ficariam juntos.

Jéssica ia ficar com Jason, por motivos de: ela traiu o “amor da sua vida” com o melhor amigo dele, no caso, Jason. Logo, isso tinha que valer de alguma coisa. Eric e Pam continuariam juntos para sempre vendendo New Blood e ele acharia uma nova humana pra ir atrás, porque tava ficando chato isso de todo mundo querer Sookie (chegando ao nível de Elena em The Vampire Diaries). Arlene tomaria a cura da hepatite V e namoraria o vampiro bonitão que é doido por ela. Sam voltaria a morar na cidade e Hoyt… Quem é Hoyt? Ele continuaria no Alasca.

Realidade

Agora vamos para a parte triste: a verdade. Bill resolve morrer para que Sookie tenha uma vida “normal”, livre de vampiros, possa constituir família e blábláblá. Porém, contudo, todavia, de última hora ela desiste de usar sua “bola de luz” nele, e resolve continuar sendo fada, logo ela continuaria atraindo vampiros e se sentindo atraída por eles. Sabendo disso o que Bill faz? Decide que quer morrer do mesmo jeito. Sério, gente? Mas tá, o moço era suicida e ninguém sabia.

Aí que o amor da sua vida tem uma doença, vai morrer de todo jeito. O que você faz?
(  ) fica ao lado dele segurando sua mão até o último momento.
(  ) não aguenta viver sem ele e morre junto.
(x) enfia uma estaca no coração dele.
Pois é, obviamente Sookie enfia uma estaca no coração de Bill e PAM, ele morre. Cabô. Morreu. Adeus, Bill. Embora eu já soubesse que ele tinha morrido no livro, não rolou! Eu tinha certeza que iam mudar esse detalhe na TV. Gente, Sookie matou Bill. ComassimBrasil? Não! Não! e não!

Mas daí que tudo que é ruim pode piorar, essa pessoa que vos fala começou a esperar pelo segundo final mais óbvio: Sookie ia ficar com Eric. Porque sim. Mas não, inspirado no final das novelas da globo, a próxima cena se passa três anos depois. Jéssica está casada com Hoyt, Jason está casado com a ex-namorada que Hoyt trouxe do Alasca e eles tem TRÊS filhos. Todos estão sentados ao redor de uma mesa cheia de comida, sorrindo e conversando como uma grande família E Sookie está grávida. Para conseguir minha indignação total, Sookie abraça um homem que só aparece de costas, senta na mesa e… tchau galera, é isso.
Acabou.
giphy

5 programas que marcaram minha vida

O CLBS entrou no Rotaroots. Daí você me pergunta: “Rotawho?”. Então, o Rotaroots é um grupo que surgiu com o intuito de trazer de volta a parte divertida dos blogs de anos atrás. O site/grupo do facebook é aberto para todos os blogueiros e eles sempre sugerem temas mensais para os posts.

Explicado o Rotaroots, vamos para o primeiro post com um tema proposto por eles: 5 programas que marcaram/marcam minha vida.

Demorei muito pensando em 5 programas que marcaram minha vida, porque preferi pensar nos mais antigos mesmo, pra dar mais emoção e me tocar que to ficando velha, to ficando louca.

1. Caverna do dragão
Não precisa de explicação, né? Era o desenho mais legal, embora eu odiasse quando o Mestre dos Magos desaparecia deixando todo mundo no vácuo.

Caverna-do-Dragão-Gloob

2. Chiquititas
“Tudo se transforma com magia e vem a vontade de dançaaar” =x Tá bom. Parei.

A verdade é que Chiquititas foi o meu primeiro vício (vai que se eu não tivesse sido introduzida nessa vida bandida por Chiquititas, nunca teria me apaixonada por séries, não teria o blog, não estaria fazendo esse post…). Quero saber que criança assistia aos dramas do Raio de Luz e não queria morar num orfanato?

Meu nível de vício era: não perdia nenhum capítulo, sabia todas as músicas E as coreografias, tinha a roupa da novela (jardineira verde + blusa branca), tive ódio quando mudaram a farda do orfanato, tinhas TODOS os CDs, até o especial de Natal. Ah, e eu queria ser a Vivi. Pronto, agora assistam a abertura e depois podem me julgar.

3. A Usurpadora
As pessoas crescem e os dramas infantis não são nada perto de uma mulher maligna que descobre ter uma irmã gêmea boazinha e a obriga a se passar por ela, enquanto curte a vida desesperadamente, tudo isso com Paulo Ricardo cantando com toda sua sensualidadxe na abertura. Paola e Paulina ❤ Carlos Daniel Bracho ♡_♡.

*Nota: Poderia ter inserido Maria do Bairro, Maria Mercedes, MariMar ou qualquer outra novela Mari da Thalia, mas não fiz isso, embora as tenha assistido.

4. The O.C.
Quando era criança assistia várias séries bestas que passavam na globo, mas nunca foi amor. Daí que o milagre da TV a cabo se fez na minha vida e eu tive meu primeiro amor: The O.C.! Ryan e Marissa, vocês sempre viverão no meu coração, Seth e Summer, também amo vocês, mas odeio pra sempre o direitor que matou Marissa. Prontofalei.

The-O-C-the-oc-521705_1500_1216

5. Sex and the city
Eu ia colocar a Fada Bela (da série Caça Talentos da Angélica) nessa quinta posição, maaaaaas… Sex and the city foi a primeira série que eu devorei (uma temporada por dia, aproximadamente) e é uma das minhas preferidas até hoje. Então, Carrie Bradshaw, Samantha, Charlotte, Miranda, Mr. Big e o cosmopolitan precisavam ter um lugar especial nessa lista.

sex-and-the-city

E aí? Muita vergonha alheia? Me contem do passado negro ou não-tão-negro de vocês também, por favor. Não me deixem só nesse momento.

*Nota 2: Adorei fazer esse post. Muita emoção rever a abertura da Usurpadora e de The O.C.

Revenge

★★★★★

Demorei, enrolei e queria estar super inspirada para escrever esse post, mas a verdade é que a inspiração não veio e eu não consigo mais ler um livro por dia para fazer as resenhas por motivo de: comecei – atrasadíssima – a assistir Game Of Thrones (post em breve), e não tá fácil dar conta das 40 horas de série e deixar as leituras em dia.

Por isso resolvi que era hora de falar de Revenge pra vocês.

revenge1

A série gira em torno de Emily Thorne, nome adotado por Amanda Clarke.

emily5

Quando pequena, Amanda teve sua vida destruída após seu pai ser preso, acusado injustamente de terrorismo. Na prisão, David Clarke foi assassinado, mas antes deixou uma caixa para ser entregue a sua filha, que a recebe ao completar 18 anos e sair do reformatório. Depois de receber a caixa com os detalhes sobre as pessoas que acabaram com a vida do seu pai – e com a sua por tabela -, Amanda vira Emily, volta para os Hamptons para se vingar e a emoção começa.

emily4

A série é amor! Mas vou dizer, Amanda podia ter mais sorte no amor, porque inicialmente ela tem dois lindos, apaixonados, se arrastando aos seus pés, que não poderiam ser mais moles. Demais! Não consigo lidar com tanta beleza desperdiçada. Jack e Daniel, por favor, melhorem.

Se bem que eu to falando do começo da série e vou conter os demais comentários para não soltar spoilers (vai que algum pobre ser humano ainda não viu essa série maravilha).

revenge2

Jack, o amigo de infância x Daniel, o filho das pessoas que destruíram sua vida. Quem ganha?

Além de Daniel-manipulado-Grayson, a família culpada por todas as desgraças do mundo também conta com Victoria, Conrad e Charlotte. Odeio os Graysons e por isso vou me limitar a não apresentá-los em detalhes. Assistam e odeiem como eu.

JOSH BOWMAN, CHRISTA B. ALLEN, MADELEINE STOWE, HENRY CZERNY

Com atenção especial para Victoria: a vaca.

victoria

Para completar o elenco de quem realmente importa na série, temos Nolan Ross, o gênio-nerd-melhor-amigo-de-Emily – um dos meus personagens queridinhos -, e Aiden Mathis, o único homem de verdade dessa série, do qual não vou falar mais porque vai ser spoiler na certa. Aiden, nós te amamos!

aidenA série criada por Mike Kelley, estreou em 2011 pela ABC (não esperem a quantidade de cenas de sexo e pessoas nuas das séries da HBO) e a 4ª temporada está confirmadíssima com previsão para outubro no Brasil. o/

O elenco principal é formado por Emily VanCamp (Emily Thorne/Amanda Clarke), Madeleine Stowe (Victoria Grayson), Gabriel Mann (Nolan Ross), James Tupper (David Clarke), Henry Czerny (Conrad Grayson), Nick Wechsler (Jack Porter), Joshua Bowman (Daniel Grayson), Christa B. Allen (Charlotte Grayson) e Barry Sloane (Aiden Mathis).

emily1 emily2

É muita vingança pra uma pessoa só, mas Emily é incrível e pode. Foi sendo incrível, marcando vários X na foto e dando tapa na cara da sociedade que Emily ganhou meu coração e Revenge se tornou uma das minha séries favoritas.

Se não viu, aconselho! Se tá vendo: GENTE, que foi isso no fim da 3ª temporada? Preciso da 4ª JÁ!

emily3

Divirtam-se! (;

True Blood

★★★

Mais uma série por aqui, mais vampiros. o/

339B5B_1

True Blood foi lançada em 2008 pela HBO. A série foca na coexistência de humanos e vampiros na cidade de Bon Temps, no estado de Louisiana. A personagem principal é Sookie Stackhouse, uma garçonete que ouve o pensamento das pessoas (uma coisa meio X-Men), que se apaixona por Bill Compton, um vampiro.

trueblood-bar1

Na série, True Blood é um sangue sintético inventado pelos cientistas japoneses, para que os vampiros tivessem outra opção de alimentação e pudessem conviver com os humanos. Como nem tudo são flores, muitos humanos não se sentem seguros ao lado dos vampiros, e muitos vampiros não acham que o True Blood dá conta da fome.

Sookie é a maior defensora dos vampiros na cidade, mas assim como ela se sente atraída por eles, algo nela atrai todos os vampiros e aí as coisas começam a acontecer.

dificilA difícil vida de Sookie

A série começou incrível, mas por volta da 4ª temporada (se não me engano) as coisas começaram a ficar bizarras demais. Como eu já tinha visto até aí e não ia conseguir parar antes do fim. Atualmente a última temporada está no ar e já foram exibidos quatro episódios.

Destaques:
Lafayette, um dos meus personagens preferidos de todas as séries.

 lafayette2 lafayette1

Vampiros não comem, nem bebem (exceto sangue) ou saem a luz do dia, e se for pra começar o chororô, eles choram sangue. Tudo exatamente como tem que ser.

jessica-tb-2

Esse pessoal de série de vampiro é profissional na escolha da beleza do elenco, né? Aiaiai.

true blood

A série baseada nos livros “As aventuras de Sookie Stackhouse”, de Charlaine Harris, foi criada por Alan Ball e tem como personagens principais Sookie Stackhouse (Anna Paquin), Bill Compton (Stephen Moyer), Eric Northman (Alexander Skarsgard), Jason Stackhouse (Ryan Kwanten), Tara Thorton (Rutina Wesley) e Sam Merlotte (Sam Trammell), mas durante a série isso muda.

Divirtam-se. (;