CosmoTAG: 5 personagens de livros para ser amiga

Em abril, o grupo Discípulas de Carrie lançou essa CosmoTAG, mas como estava ausente dessa vida, resolvi responder agora. Atrasada sim, mas quem se importa?

Todos os livros que realmente gosto contam com o fato de eu ter me envolvido emocionalmente com um ou mais personagens. Sempre tem um amor platônico, alguém pra quem preciso dizer umas verdades, alguém que quero socar a cara, puxar a orelha ou que quero abraçar e dizer “vem cá, migs”. É esse post é sobre essas últimas pessoinhas.

1. Eleanor
Quando fiz esse post falando sobre Eleanor & Park, falei que queria ser amiga da Eleanor. Queria mesmo. Queria dar um abraço nela e dizer que tudo ia ficar bem. Sofri as dores dela, torci por ela e Park, e chorei até desidratar no final. Eleanor, miga, vem cá, senta aqui, vamos conversar.

2. Auggie
Extraordinário é um dos meus livros preferidos da vida e 90% disso é culpa do Auggie. Que personagem maravilhoso

3. Emma
Sim, claro, com certeza. Um dia também está na minha lista de queridinhos e se eu quis TANTO esculhambar Dexter, foi pela amizade que eu obviamente tinha com Emma. O tanto que eu chorei no final daquele livro, também tem uma relação óbvia com essa amizade.

4. Louisa Clark
Se alguém leu Como eu era antes de você e não terminou miga da Lou, precisa rever isso aí. Eu já a adorava no livro, depois do filme então… amiga pra vida toda. Até hoje não superei aquele final, não aceitei nada do que aconteceu e vou passar o resto da vida esperando um final diferente, mesmo depois de ler Depois de você. Lou, miga, vamos conversar ali em Paris.

5. Laurel
Em Cartas de amor aos mortos, assim como em Eleanor & Park, foi um apego tão forte que sofri junto, me apaixonei junto, detestei junto e, Laurel, senta aqui, comigo e com Eleanor, vamos conversar.

Quero saber os personagens que vocês gostariam de ser amigs também. Quem sabe não acho umas novas amizades literárias por indicação?!

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

Um dia


✭✭✭✭✭

Sábado passado li a resenha de “Um dia” no Expresso para dois. Levantei do computador, troquei de roupa, fui até o shopping e voltei para a casa com o livro em mãos. Meu amor por esse livro foi assim, instantâneo e intenso.

Captura de tela 2014-09-23 às 22.59.42

“Vinte anos. Duas pessoas.” Nunca um livro foi tão bem resumido em apenas quatro palavras. Um dia conta a história de Emma e Dexter, que se conhecem na formatura, no dia 15 de julho de 1988. Cada capítulo narra a relação deles em anuais 15 de julho, durante 20 anos, e conta como a pegação inicial se transforma numa amizade linda, que não é exatamente preta e branca.
A verdade é que gostei tanto do livro que estou tendo a maior dificuldade de escrever essa resenha. Maaaas, vamos lá!

Emma é uma garota incrível, bonita – sem muita noção disso -, inteligente, engraçada, que realmente quer mudar o mundo, usa óculos gigantes, discute política e é nitidamente apaixonada por Dexter.
Dexter é um garoto de família rica, muito bonito – e sabe disso -, que quer curtir a vida com viagens, mulheres, bebidas, mulheres, mulheres.
Apesar das diferenças, eles vão construindo uma amizade ano a ano, com seus altos e baixos, encontros e desencontros.

Em e Dex, Dex e Em.

Eu adorei Emma, mesmo! Seria amiga dela fácil. E se você já leu o livro e vier dizer que ela é uma pessoa sem amor próprio por se submeter a tudo que acontece, eu a defendo! Quem nunca cometeu nenhum erro ato por um amigo/amor, atire a primeira pedra! Enquanto Emma não vê quanto ela é incrível, eu vejo.
Por outro lado temos Dexter. Entããão… Dexter é um completo idiota! Isso fica claro durante quase todo o livro. Apesar disso, acho que só consegui ter raiva dele em duas páginas. Ele é um tipo comum, desses que com certeza você conhece alguém parecido. Apesar da idiotice, ele não é má pessoa, realmente gosta de Emma e gente… não vou mais falar porque se não vou começar a chorar de novo. É. Esse livro está recebendo oficialmente o selo chorei rios.

Tentando não fazer spoiler, vou dizer pra vocês que o acontecimento mais recorrente do livro pode ser descrito como “oportunidades perdidas”. Muitas. Milhares. Amei os dois, mas tive vontade de dar um peteleco na cabeça deles na maior parte do livro, com Dexter sempre na frente nesse quesito. É arrasador ver o quanto as escolhas deles interferem no que poderia ser uma simples e linda história de amor. Alô? Realidade? É você? 

Além da história linda que já faria o livro incrível, levei vários tapas na cara com luva de pelica. É. Você desperta para várias questões pessoais, pensa e repensa com o que, como e com quem está gastando a sua vida. O livro é muito real, muito, mesmo. Eles são muito humanos, cheios de virtudes e falhas, tomam caminhos tortos e sofrem as consequências de cada um deles e bem, se você for ler esperando um livro bonitinho, pula e deixa pra próxima.
Nesse momento estou providenciando o filme, que ouvi dizer que é quase tão bom quanto o livro. Como já tinha visto o trailer, durante toda a leitura imaginei Emma como Anne Hathaway e Dexter como Jim Sturgess.

Essa maravilha foi escrita por David Nicholls, lançado no Brasil pela editora intrínseca e me custou R$24,90 (acho). Agora vou continuar sofrendo porque o livro acabou enquanto o filme não vem.

Boa leitura! =*